A descoberta…

A descoberta…

Sou Laiara, arquiteta, hoje com 31 anos, casada, baiana. Mas a diabetes começou a fazer parte da minha vida em 2007, exatamente no mês de março.

Lembro que antes do mês de janeiro aqui em Salvador, em pleno verão,o calor estava extremo e eu não parava de beber água no trabalho. Ficava o tempo todo perguntando para os meus colegas se eles estavam sentindo sede, e como era verão e os verões aqui são bem quentes, todos bebiam muita água também. Mas eu me sentia cansada, emagrecendo, sem disposição, juntamente com isso começaram a aparecer uns furúnculos na minha pele.

Minha mãe, sempre muito cuidadosa me aconselhou a ir a um médico. Como estava perto do carnaval, deixei para ir após as festas, como uma boa baiana louca por festas… e assim fiz.

Procurei uma dermatologista, a qual já me acompanhava a 6 meses e ela pediu para fazer um exame de sangue. Fiz tranquila e sem preocupações. Como de costume, peguei o resultado e abri…Lá estava 295mg/dl. Não entendi direito… No outro dia levei a minha médica e ela se assustou com o resultado.

Como a 3 meses atrás havia feito exames de glicemia e estava normalíssimo, a minha médica pediu que eu repetisse o exame supondo o laboratório ter errado, e lá fui eu novamente. 2º Exame, resultado 305mg/dl. Nem passou pela minha cabeça a ideia de ter Diabetes e ainda uma doença crônica e sem cura. Na mesma hora, a minha dermatologista  me encaminhou para uma endocrinologista, solicitando uma consulta de urgência.

Lá a Dra., que prefiro nem dizer o nome, me diagnosticou diabética da pior forma possível. Me disse que eu era diabética, que iria usar insulina o resto da vida, que não poderia mais fazer as unhas, que não poderia mais comer doce, que as hipoglicemias seriam sensações horríveis, que a minha vida seria radicalmente mudada…um terror e milhões de outras coisas.

Como qualquer ser humano normal, entrei em desespero. Ainda no consultório só fazia chorar, chorar, chorar e chorar… e minha mãe, Ana, sempre ao meu lado pedia para eu me acalmar que tudo ia dar certo. E assim eu fui me acalmando e comecei a ouvir as orientações daquela médica tão desumana…(quanto a essa médica, prefiro nem relatar mais nada, pois foi uma das piores experiências da minha vida). Lógico que mudei e endocrinologista!!!

Sai do consultório, comprei a caneta, a insulina, o glicosimetro( medidor de glicemia) e comecei o tratamento dia após dia com o meu kit de sobrevivência.

Fui a uma nutricionista, Dra. Marisa Gonçalves. Essa sim uma excelente médica que me orientou na contagem de carboidratos, me liberando a comer tudo, mas com a devida moderação. Comecei tomando a Insulina NPH e consegui resultados satisfatórios.

É engraçado que não nos damos conta de tão frágeis e tão fortes podemos ser ao mesmo tempo. Frágeis por sermos vulneráveis o tempo todo à doenças, ao tempo, a crimes, fatalidades, destinos, surpresas…e FORTES por possuirmos uma força tão grande quando queremos superar obstáculos, quando somos obrigados a fazer escolhas decisivas, quando passamos a entender a dependência que temos de TUDO na vida e não só a um tipo de medicamento que nos mantém vivo.

Nós, seres humanos, somos dependentes da alimentação, do sono, do trabalho, do dinheiro, dos amigos, da família, do carinho, do amor, da solidariedade, do companheirismo, da gratidão, do elogio, da política…tudo isso é nos apresentado pouco a pouco no decorrer da vida e nós vamos nos ajustando, nos acostumando, nos moldando às leis, às regras para conviver com tudo isso… e assim devemos ser com a DIABETES. É uma doença que nos é apresentada, que nos impõe regras, leis, ajustes, disciplina  e determinação  as quais vamos nos moldando, nos acostumando e aprendendo a conviver  e incorporando-a a nossa rotina diária.

Para nós portadores da DIABETES TIPO I, que somos além de dependentes de medições diárias de glicemias, dependentes da insulina, somos dependentes do conhecimento, do avanço tecnológico, das políticas públicas sérias relacionadas à saúde, da seriedade dos nossos governantes para que possamos ter dias melhores e mais humanos para os portadores de doenças crônicas.

É com esse pensamento e esperança de conquistarmos dias melhores e com o objetivo de ter mais conhecimento e poder trocar e levar informações a todos PORTADORES DE DIABETES , ou  para aqueles que possui parentes, amigos, filhos , vizinhos, conhecidos portadores dessa doença que resolvi criar esse blog.

Uma das maiores barreiras da DIABESTES TIPO I é a falta de informação!

About these ads

42 thoughts on “A descoberta…

  1. Conviver com uma pessoa com diabetes também é um aprendizado. Sou cunhada de Laiara e pude entender que essa doença não é uma sentença e sim, uma limitação, como todo ser humano tem: algumas relacionadas à saúde e outras não. A diabetes é uma limitação imposta pelo corpo, mas nada que a disciplina e a perseverança não resolva. Parabéns pela idéia do blog!!!!!!

  2. Laikinha,

    Amei suas primeiras palavras!!!! Vou acompanhar sempre vc aqui também!
    É muito bom compartilhar experiencias com todos, pois assim ajudamos a muitas pessoas e a nós mesmos!!!!
    Beijosssssssssssssssssssssss
    Sua amiga Camyl´s

  3. Lai, de você esperamos atos como este … nada disto me espanta. Vá em frente, como sempre ajundando a quem precisa. Esta FORÇA é familiar, eu bem sei. Beijo grande,
    Tia Ninha

  4. Querida Laiara, Adorei sua iniciativa, vamos em frete que a graça da vida são os desafios que nos convidam sempre ao crescimento. Você não permitiu ser objeto dos acontecimentos, mas se fez sujeito, que seu exemplo possa ajudar outras pessoas a terem coragem de encarar os desafios da vida com fé e confiança. Beijo!

    • Belzinha querida!!!! A ideia é essa: aprender e poder ajudar! Afinal de contas estamos aqui para que mesmo?! Um beijo enorme!!! Depois quero dicas porque já vi que você ta mandando muito bem no Chocolate Suiço!!! rsrsrsrs

  5. Nossa, ao ler a mensagem de abertura não sei se fiquei mais empolgada com o conteúdo do blog e a sua forma de apresentação ou com a enorme admiração q senti de vc, Laira. Desde q te conheci tive a impressão de q se tratava de uma pessoa forte, mas sei q isso n significa dizer q vc seja insensível. Quando me refiro à insensibilidade, o faço no sentido mais amplo que posso deferir a essa palavra; não se trata apenas da parte do conceito q donota falibilidade, mas (e sobretudo) da acepção de que ser sensível é ser solidário. Parabéns! Mesmo!

    • Querida Renatinha!!!!! Assim eu não vou aguentar…rsrsrsrs Olha obrigada mesmo! Nós não imaginamos a força que temos, na verdade na maioria das vezes duvidamos dela, mas todos nós a possuímos! Nunca duvide disso…
      Quanto a ser solidária, acho que essa qualidade está em extinção na sociedade em que vivemos e por isso muitas vezes as pessoas não teem a informação. É com esse objetivo que pretendo iniciar e prosseguir com esse blog! Já vi que divulgou né?! É isso ai! Brigadão e no próximo mês estarei na academia viu?! bjssssssssss

      • Viu! Depois de um ano eu estou tendo dificuldade de ir (tempo), mas vou me reorganizar! Bjão!

  6. Parabéns amiga! Que este seja um canal de troca de experiências e aprendizado, para você e para todos os que acessarem aqui! :D Bjus e sucesso com o blog! ;)

    • Minha amiga sergipana e incentivadora da criação de BLOG!!!! Obrigada pelas palavras e por apoiar essa ideia! Quando comentei com você e você me respondeu: ” que ótimo” …pensei agora eu vou!!!!! :p beijão e obrigada!

  7. Laiara, também fui surpreendido, há cerca de 03 anos atrás, após um exame de rotina, com a notícia de que estava com diabetes e que, a partir daquele momento, teria que passar que implementar no meu dia-a-dia novas regras de alimentação, atividades físicas, aliadas a medicações para controlar tanto a diabetes como o colesterol e o triglicérides. Também recebi com restrições esta notícia, mas meu médico não foi tão radical como a sua primeira médica. Hoje consigo, apesar de pular o muro de vez em quando e comer tudo o que não devo, conviver bem com o problema e ter uma vida normal. Espero poder aprender mais e, quem sabe, contribuir um pouco com a minha experiência. Beijos e sucesso para o seu bloq.

    • Querido amigo!! Pois é tudo é diferente a depender da forma como é dita! Para que o tratamento tenha sucesso é necessário que haja empatia, confiança entre médico e paciente! O tratamento não é nenhum “bicho de sete cabeças” basta ter disciplina, como tudo na vida quando queremos alcançar o sucesso! beijos e obrigada!!! Espero ajudar você também!

  8. De você não esperaria nada diferente… é hereditária essa capacidade de fazer do limão uma limonada, dando drible em quem tentou te derrubar… sou mais você! bjs, Laiara!

  9. Muito bacana sua iniciativa. Espero que seus conselhos ajudem muitos pacientes. Só vou dar uma dica: A Dra.Maria, a que se refere é médica nutróloga ou nutricionista? Existe uma diferença: o médico nutrólogo é formado em medicina e a nutricionista em nutrição. Parece pouco relevante mas é importante esclarecer aos pacientes os limites de cada profissional. Como médico sempre oriento, independente dos meus aconselhamentos, que procure um nutricionista, que é a pessoa mais habilitada para orientação nutricional. Assim como os pacientes não devem negligenciar o acompanhamento com um endocrinologista, mesmo que tenham um nutricionista muito competente o acompanhando. No mais, gostei muito do texto.

    • Prezado Fabio,
      Que bom que gostou do blog! A dra. Que prefiro nao citar o nome é endocronoligista e a Marisa (e não Maria) é Nutricionista! Com certeza, os portadores de diabetes devem ter um acompanhamento multidisciplinar que ajuda bastante a entender a doenca. Querendo contribuir ou divulga-lo ficarei grata, pois a ideia eh passar informacao e diminuir o desespero dos recem diagnosticados.
      Abracos, Laiara

  10. Laiara, estou encantada com a sua iniciativa.Fiquei emocionada com o seu relato.Vc não pode negar que é o signo de Leão que enfrenta os desafios com muita coragem e determinação. Seu blog vai ajudar muita gente que as vezes precisa e não tem com quem trocar experiências. Parabéns pela ideia.Esta sua iniciativa vai lhe fortalecer cada vez mais. Bjs. Valdívia

  11. Oi Laiara!!!
    Tudo na vida é um desafio e nos devemos ter sabedoria p poder passar por eles com dedicação, renuncias e muita disciplina.É c estes desafios que nos aprendemos, que nos crescemos e nos transformamos numa pessoa melhor ainda. Não cai uma folha de uma planta sem prermissão de Deus. Amei o seu blog. Parabéns querida.

      • Querida Janaina!!!

        olha você não sabe como é gratificante poder ajudar alguém… Na verdade a criação desse blog foi exatamente com esse objetivo. Passar informação e o meu dia-a-dia com a diabetes! Não desista!!! Tem dias também que fico pensando porque eu com diabetes tipo 1. Eu sempre gostei de esportes, de andar de bicicleta, ginastica olímpica…enfim…agora eu me pergunto para que? Essa é a frase que devemos perguntar sempre! E a diabetes nos proporciona uma alimentação balanceada, equilibrada, a estar sempre cuidando de nós, do nosso corpo…Vamos olhar pelo lado positivo…não é fácil, lógico que não, mas amanhã será mais fácil que hoje!

        Eu já estou usando a bomba de insulina…daqui a uns dois posts farei o relato dela, mas como estou vendo que você esta querendo começar a controlar seus níveis glicêmicos…vou me adiantar para você!!! Posso te confessar que foi a melhor coisa que eu fiz!! HOJE ME PERGUNTO PORQUE EU RESISTI TANTO A UMA COISA QUE ME DÁ TANTA FLEXIBILIDADE?! Eu tenho exatamente 15dias com a bomba e te juro que já esqueci por varias vezes que estava com ela….ja acordei e ela ficou pendurada…mas super tranquilo.
        Vou tentar responder à todas as suas perguntas tá?! Foram mais ou menos as mesmas duvidas que tive:
        1. Tomar banho: desconecta a bomba do cateter! Não dói nadinha! Depois de tomar banho…conecta novamente.
        2. Banho de mar ou piscina: da mesma forma…podemos ficar até 1 hora sem a bomba durante o dia.
        3. Dormir: geralmente, como costumo dormir de barriga para baixo, coloco ela dentro do pijama nas costas…Mas pode colocar embaixo do travesseiro também.
        4. Roupas: o aparelho é pequeno…coloco no bolso da calça, no sutiã (dependendo da blusa), no tomara que caia….quando uso saia longa ou vestido coloco com uma faixa na perna. Com a da Roche (Combo) que possui o smart control não é preciso pegar na bomba…o controle faz tudo e através de bluetooth..manda a mensagem da quantidade de insulina que determinamos… uma beleza!!!
        5. Controle glicêmico: eu quase que não tenho hipoglicemia, lógico que nesse primeiro mês requer um pouco mais de trabalho pois temos que anotar TUDO que comemos e medir a glicemia até 6 vezes ao dia para que a médica possa ajustar a programação da bomba. Ela faz um programação para a bomba infundir automaticamente a quantidade de insulina por hora. No meu caso comecei com 0,6U/hora e ai ela foi ajustando com os dados que passei. A tentativa é que a bomba funcione com o o nosso pâncreas.
        6. Momento íntimos: desconecta a bomba e pronto.(rsrsr) depois conecta.
        7. Alimentação: lógico que qualquer pessoa deve seguir uma dieta saudável, mas com a bomba podemos comer de TUDO! Basta administrar e fazer a contagem de carboidratos
        8. Furadas: 1 a cada 5 dias ( olha que maravilha!!!)
        9. Troca do reservatório de insulina: no meu caso só troco de 10 em 10 dias.
        10. Flexibilidade no horário da alimentação: voce que tem a vida corrida, assim como eu…você não precisa comer naquele horário…como faz quando usa a caneta ou seringa…voce pode comer 1h ou 2 horas depois do horário e na maioria das vezes a glicemia não cai. Esse era o meu maior problema…pois sou arquiteta e as vezes quando estava em reunião já ficava morrendo da glicemia abaixar demais…então comi para compensar…posso te dizer que com a bomba estou muito mais tranquila….as vezes nem acredito quando vou medir meu açúcar e ele está 87 antes do almoço….101 quando acordo!!!

        O essencial para o bom controle com a bomba é fazermos a contagem de carboidratos..isso sim é imprescindível!

        Quanto a questão do governo…não sei de qual cidade você é, mas aqui em salvador, varias pessoas entram com processo contra o estado e já ganharam.. você pode fazer isso ai na sua cidade também, pois é um direito nosso!!!!!
        Aqui em salvador o governo disponibiliza a Lantus…ai você pode consultar o seu medico para ver com é ai na sua cidade!!! Caso não queria usar a bomba, a Lantus é muito melhor que a NPH…Lantus e Levemir são muito parecidas!!

        Espero ter te ajudado!!!!

        Qualquer duvida me escreva que podemos trocar varias “figurinhas”….Não tenha medo!!! Siga em frente e pense que precisa ter o controle bom para estar do lado da sua filha acompanhando o crescimento dela!!!

        Não estamos sós!!!!!!

        Grande beijo,

        Laiara

  12. Laiara querida, parabéns pela iniciativa do Blog. Vamos seguir em frente… a vida é doce, e nós somos doces e felizes, não importa se temos diabetes ou não. (Franci, diabética tipo I desde os 15 anos).

  13. Laiara, adorei seu blog, sou mãe de uma menina de 4 anos, diabética há 5 meses…….tivemos o diagnóstico numa semana de férias em Salvador…..depois te conto com detalhes. O que posso te dizer é que os diabéticos são muito maiores que a doença, se como vc quiserem manter o controle!um beijo grande
    Kellen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s